Notícias

De capital sueco, Finanzero faz parceria com Omni e Banco Pan

A Finanzero, correspondente bancário controlado por fundos de investimento da Suécia, quer aproveitar a experiência da Escandinávia na área de tecnologia financeira para marcar posição no Brasil.

A empresa, criada em novembro de 2015, tem parceria com a OLX, uma das maiores plataformas de comércio eletrônico do país. Agora fechou acordo com duas instituições, o Banco Pan e a Omni Financeira, para fazer operações de intermediação.

Em uma primeira fase, a Finanzero vai intermediar financiamentos com os bancos para compra de veículos pelos usuários da OLX. Mais adiante, também pretende oferecer linhas de crédito pessoal dos bancos parceiros.

“Estamos em discussões com outros bancos”, disse o sueco Olle Widén, presidente da Finanzero. A empresa, com sede em São Paulo, recebeu licença para atuar como correspondente bancário no mercado brasileiro, disse Widén.

Os investidores da Finanzero são os fundos Webrock Ventures e Vostok Emerging Finance. Joakim Pops, sócio-administrador da Webrock, disse que a aposta do fundo de investimentos no Brasil se justifica pelo tamanho do mercado e também pelo grau de digitalização do país. “Há muitos usuários de celulares e de internet [no Brasil]. A conectividade está crescendo e as perspectivas para esse mercado [no país] são boas”, disse Pops.

Rodrigo Del Claro, diretor de negócios e marketing da Omni Soluções Financeira, disse que a parceria com a Finanzero representa o começo de uma transição rumo a um banco digital, com vários canais. A previsão é que a operação da Omni com a Finanzero comece nas próximas semanas. Alex Sander Moreira Gonçalves, diretor comercial do Banco Pan, disse que há grande expectativa de geração de novos negócios para a instituição a partir da parceria com a Finanzero.

“Serão oferecidos pela Finanzero financiamento de veículos, quando a venda ocorre entre particulares, e o empréstimo com garantia de veículos”, afirma Gonçalves.

Widén, da Finanzero, disse que a empresa tem a expectativa de gerar receita entre R$ 8 milhões e R$ 12 milhões neste ano e de R$ 20 milhões em 2017.

Fonte: Valor Econômico

Notícias relacionadas

2018-09-11 05:15:00

Momento Econômico | Ano 1 - Edição 05

por NICOLA TINGAS Leia mais.
2018-08-23 05:25:00

Momento Econômico | Ano 1 - Edição 04

por NICOLA TINGAS Leia mais.
2018-08-07 04:15:00

Momento Econômico | Ano 1 - Edição 03

por NICOLA TINGAS Leia mais.